EconPapers    
Economics at your fingertips  
 

A evolução da economia do desenvolvimento: ensaio sobre o caso português

Carlos Bastien and Ana Bela Nunes

No 2019/61, Working Papers GHES - Office of Economic and Social History from ISEG - Lisbon School of Economics and Management, GHES - Social and Economic History Research Unit, Universidade de Lisboa

Abstract: Este paper traça uma perspetiva de longo prazo sobre questões de desenvolvimento articulando as teorias, doutrinas e políticas que prevaleceram em Portugal nos últimos dois séculos. Na primeira metade do século XIX a instabilidade política permanente agravada pela ocupação externa em alguns períodos conduziram à estagnação económica e as propostas políticas apresentadas por fisiocratas tardios e apoiantes do paradigma clássico mostraram-se inconsequentes. Contudo, neste período, não surgiram estratégias alternativas. Durante a segunda metade do século XIX, em rigor até à Primeira Guerra Mundial, um paradigma eclético dominou na teoria económica em Portugal. Se a influência dos economistas liberais franceses foi significativa, o seu impacto na política económica foi manifestamente fraco. De entre as abordagens minoritárias merece referência as que refletiram as ideias de List. A política liberal, apesar de ter conduzido a um período de relativa prosperidade, não promoveu um processo de industrialização e crescimento sustentado. No período entre as duas guerras mundiais, o corporativismo dominou quer em termos da teoria quer da política económica num padrão típico de capitalismo autárcico e intervencionista. O seu principal objetivo, mais do que promover o desenvolvimento económico, foi preservar os equilíbrios económicos e sociais existentes, através do controlo governamental da atividade económica. Neste período surgiu uma doutrina desenvolvimentista assente no lado da oferta, desenhada por engenheiros-economistas, mas sem qualquer teoria do desenvolvimento sólida a sustentá-la. O terceiro quartel do século XX foi o período mais bem sucedido de crescimento económico em Portugal e de receção da síntese neoclássica-keynesiana, nomeadamente dos modelos de crescimento keynesianos. Também um tipo peculiar de engenheirismo económico foi enquadramento teórico importante para as políticas de desenvolvimento. Contudo, no plano institucional o corporativismo continuou presente, nomeadamente ao perpetuar a ideia de que a regulação estatal era preferível aos mecanismos de mercado. A revolução de abril de 1974 abriu espaço a um breve período de socialismo. Contudo, a decisão de requerer a adesão às Comunidades Económica Europeias logo em 1977 e a necessidade de implementar políticas de ajustamento de curto prazo para fazer face a problemas graves de desequilíbrios externos, levaram ao desaparecimento da economia de desenvolvimento. Desde então a questão do desenvolvimento foi encarada no quadro do impacto positivo esperado da participação no processo de integração europeia, incluindo a adesão à Zona do Euro.

Keywords: História do Pensamento Económico; Economia do desenvolvimento; Portugal JEL classification: B00; O11; O20 (search for similar items in EconPapers)
Date: 2019
New Economics Papers: this item is included in nep-his
References: Add references at CitEc
Citations: Track citations by RSS feed

Downloads: (external link)
https://ghes.rc.iseg.ulisboa.pt/wp/wp612019.pdf (application/pdf)

Related works:
This item may be available elsewhere in EconPapers: Search for items with the same title.

Export reference: BibTeX RIS (EndNote, ProCite, RefMan) HTML/Text

Persistent link: https://EconPapers.repec.org/RePEc:ise:gheswp:wp612019

Access Statistics for this paper

More papers in Working Papers GHES - Office of Economic and Social History from ISEG - Lisbon School of Economics and Management, GHES - Social and Economic History Research Unit, Universidade de Lisboa GHES - Social and Economic History Research Unit, ISEG - Lisbon School of Economics and Management, Universidade de Lisboa, Rua do Quelhas 6, 1200-781 LISBON, PORTUGAL.
Bibliographic data for series maintained by Natalia Nobre ().

 
Page updated 2021-05-18
Handle: RePEc:ise:gheswp:wp612019